Todo mundo é Cliente?

Todo o mundo é cliente, bem essa é uma questão de entendimento e definição de estrutura de trabalho.
O método de trabalho com CRM tem na sua estrutura a definição de prospecção, potenciais e finalmente o cliente. Temos diversos projetos e cada um utiliza uma estrutura de trabalho distinta com o entendimento distinto de quem é cliente.
Mas qual o melhor formato? Temos bastante claro que o melhor caminho é o que conhecemos. Para implementar uma plataforma de trabalho de CRM precisa haver o entendimento da cultura e a visão da estrutura dos processos de vendas para atingir o melhor resultado.
Desenhando a estrutura básica do CRM temos:
Prospectos – São cadastros de pessoas que não conhecem ainda nosso produto ou serviço, é basicamente o mapeamento ou localização destes cadastros.
Potenciais – São as pessoas que respondem ao primeiro contato, estão interessadas ou curiosas sobre o que vendemos, neste estágio há a troca de e-mails, ligações, reuniões, encaminhamento de propostas / orçamentos acontece o acompanhamento ou follow para fechar pedido.
Cliente, este sim é quem comprou nosso produto ou serviço, desenvolve um relacionamento de pós vendas com a entrega do contratado e entra no ciclo de recompra, manutenção ou renovação de contratação.
Juntar tudo como cliente não está certo e nem errado, depende da cultura e da sofisticação ou detalhamento da informação.
Para termos uma visão interessante, por assim dizer, pergunte quantos clientes sua empresa tem, depois detalhe quantos são ativos, estão comprando constantemente com você, neste ponto surge a classificação ativo e não ativo, mas e o restante dos dados que estão nas planilhas e outlook, o que fazer com esses cadastros
Com o Simple Pack CRM você não tem limite de estruturação e organização, de forma rápida é prática e possível estruturar e entender a massa de dados para poder atuar com assertividade conversando com os “clientes” e maximizando o software resultados de vendas.